Segurança dos usuários

Elevadores são equipamentos mecânicos automáticos de transporte vertical operados pelo próprio usuário.  Para garantir a segurança e a disponibilidade, a manutenção periódica é obrigatória e deve ser realizada por empresa especializada com registro no CREA e no órgão municipal competente. No caso da cidade de João Pessoa, apesar de não existir um órgão especializado para fiscalizar especificamente as empresas de elevadores, conta-se com a Lei estadual 10.229/2013 que dispõe sobre a manutenção de elevadores em termos genéricos. Mas, ressalta-se que a segurança não depende apenas da empresa de manutenção e do órgão de controle. Depende de todos. O responsável pela administração do edifício, os usuários, os auxiliares de portaria, e o pessoal encarregado pela limpeza, manutenção e segurança das áreas internas da propriedade também assumem obrigações, seja no uso correto dos equipamentos ou nas obrigações acessórias de vigiar, proteger, cuidar e relatar. Abaixo algumas recomendações:

Como agir se ficar retido no interior da cabina ?

Quando ocorre uma pane num subsistema crítico de um elevador tradicional causado por falta de energia, por exemplo, o elevador pára abruptamente deixando o passageiro ou passageiros retidos. Nesta situação deve manter-se a calma, acionar o botão de alarme sinalizado na botoeira, solicitar auxílio e aguardar passivamente o resgate. O usuário deve indicar o número de pessoas na cabina, se há crianças, se possível indicar também a posição da cabina e manter-se afastado da porta. Nunca tente sair por conta própria. Nada mais deve ser feito até que o técnico responsável providencie o resgate de forma segura. Para amenizar esta situação, que para alguns provoca extrema ansiedade, os elevadores devem ser providos obrigatoriamente de um botão de alarme, iluminação de emergência e intercomunicador. Se possível, ventilação forçada e câmera também podem ser instalados. Embora não falte ar na cabina nesta situação, o ventilador ajuda a diminuir o desconforto quando há muitas pessoas retidas. O zelador deve tranquilizar os passageiros até a chegada do resgate.

3

Quais os cuidados a observar no acesso à casa de máquinas ?

​A casa de máquinas de um elevador elétrico tradicional aloja  o conjunto de tração (motor, máquina, polias, cabos de aço e o freio dinâmico), material de limpeza/lubrificação, aparelho limitador de velocidade, quadro de comando, chave geral, documentos técnicos e um dispositivo para liberação manual do freio. É um local que oferece riscos ao leigo e principalmente crianças, por isso o local deve ser mantido fechado e trancado com a chave de acesso sob os cuidados de uma pessoa designada pelo síndico, porém imediatamente disponível à qualquer momento. O acesso à casa de máquinas deve ser franqueado apenas ao pessoal responsável pela assistência técnica e outros autorizados legalmente como o corpo de bombeiros. O acesso à casa de máquinas deve estar sempre desobstruído, adequadamente iluminado,  fácil e seguramente alcançável, à qualquer tempo.​

5

4

Crianças podem usar o elevador desacompanhadas de um adulto?

A Lei Municipal 12.751 de 4/11/1998, cidade de São Paulo, estabelece que crianças menores de dez anos não podem utilizar o elevador desacompanhadas de um adulto responsável, uma vez que elas não têm altura nem discernimento suficientes para acionar o botão de alarme em caso de necessidade. Portanto não se trata de uma recomendação e sim de uma Lei que deve ser respeitada e que sujeita o infrator, no caso o adulto responsável, a multa pecuniária correspondente a 250 UFIR. Trata-se de uma Lei de bom senso, já que não é possível prever todas as circunstâncias que eventualmente podem apresentar-se no caso de uma pane.

Como cuidar da higienização e limpeza da cabina e hall do elevador?

A limpeza e higienização do interior da cabina é de responsabilidade do condomínio. Cabe a empresa de assistência técnica efetuar apenas a limpeza da parte superior do subteto tendo em vista as instalações elétricas ali presentes. A utilização de produtos de limpeza deve ser realizada com critério. Por exemplo, junto aos botões e visores das botoeiras deve-se utilizar apenas um pano seco ou levemente umedecido. O uso de líquidos nestas partes pode causar a infiltração do mesmo através das aberturas existentes nos encaixes dos botões e danificar circuitos elétricos e manchar os visores. Para a limpeza dos painéis da cabina utilizar um pano levemente umedecido e no caso de paineis de inox recomenda-se utilizar qualquer um dos produtos indicados para proteção deste tipo de superfície. Para limpeza do piso da cabina  usar também um pano umedecido com um desinfetante apropriado. Evite a lavagem do piso ou paredes próximas ao hall do elevador. Utilize apenas um pano umedecido para evitar que a água escorra por baixo da porta de andar do elevador e alcance partes elétricas energizadas.

O que usuários e auxiliares do condomínio devem observar e relatar ao utilizarem o elevador?

Caso perceba alguma anormalidade comunique imediatamente ao zelador. Não faça nenhuma intervenção no equipamento. Em casos críticos o elevador deve ser desligado e a área de risco interditada até a chegada da assistência técnica: Falhas que podem ser detectadas  pelo usuário:

1. Em movimento, as portas do elevador devem permanecer fechadas e travadas;

2. A porta somente pode abrir automaticamente se a cabina estiver parada na zona de nivelamento com o pavimento;

3. A cabina não deve efetuar paradas repentinas entre os andares. Mesmo que em seguida volte a funcionar normalmente, avise o zelador;

4. O desnível entre a cabina e o pavimento não deve ser excessivo. Há uma tolerância de desnível própria da tecnologia do equipamento. A empresa responsável pela manutenção está apta a dar esta informação e indicar qual o desnível determinado em projeto ;

5. Todas as chamadas de cabina e andar devem ser atendidas na sequência determinada pelo tipo de comando disponível;

6. A cabina não deve balançar excessivamente nem gerar ruído excessivo e não habitual, quando em movimento;​

7. O alarme, o intercomunicador e a iluminação de emergência devem estar sempre operantes, bem como também os indicadores de posição;

8. Todos os visores das portas de pavimento e cabina devem estar íntegros, conforme suas características originais.

9. A operação automática ou manual das portas de cabina e andares deve ser suave, sem solavancos ou ruídos anormais.

1

2