Modernize seu elevador. Confira nossas sugestões. ​

Algumas partes do seu elevador foram projetadas para durar por toda a vida útil do seu edifício, outras não, como por exemplo a tecnologia e o design que ficam obsoletos e aumentam os custos da manutenção com o passar dos anos. A MÚLTIPLA preparou quatro opções para você decidir sobre a modernização do seu elevador sem gastar muito e torná-lo mais seguro, eficiente, confortável e elegante. Adicionar até pequenas e contínuas melhorias resultarão num elevador  mais moderno valorizando seu patrimônio, sem contar que as tecnologias modernas consomem muito menos energia e têm elementos com baixa taxa de falhas que aumentam a disponibilidade do elevador. Muitos componentes antigos não são mais produzidos em escala industrial e o condomínio corre o risco de permanecer muito tempo com o elevador indisponível até que seja providenciada nova peça, reparada a anterior ou realizada uma adaptação, o que nem sempre gera bons resultados. Considere também que, com a modernização, os moradores ficarão mais satisfeitos porque poderão contar com um equipamento esteticamente mais agradável, seguro e econômico.

​Segurança​

Em 2008 o INMETRO homologou a norma ABNT 15.597, que tem como objetivo proporcionar aos elevadores existentes o mesmo nível de segurança que é obrigatório para os elevadores novos. Isto significa que, na medida do possível, os elevadores existentes deverão incorporar estes dispositivos  igualando-se aos que estão saindo da fábrica hoje, como por exemplo a instalação de insertos em braile nas botoeiras da cabina e pavimentos; luz de emergência na cabina; intercomunicador; aviso sonoro anunciador do andar; caixa de inspeção no topo da cabina para tornar segura e prática as rotinas de manutenção além de reduzir o tempo  de diagnóstico e correção de defeitos no passadiço; instalação de protetores de polia; guarda corpo; escada no poço e muito mais. Solicite uma vistoria e fique sabendo o que pode ser melhorado no seu elevador para atender os requisitos da NBR-15.597. 

Design

Um design ultrapassado, envelhecido, influencia negativamente os moradores e visitantes do edifício. Os painéis da cabina podem ser substituídos ou revestidos por materiais mais modernos, podem ser incorporados espelho, corrimão, ventilador, subteto decorativo com iluminação por LED, um novo piso  e finalmente uma botoeira moderna com botões auto-iluminados e displays com indicadores de posição e direção. É recomendável que a substituição das botoeiras e toda a sinalização seja feita junto com a substituição do quadro de comando, o que facilitará a compatibilização dos circuitos elétricos e reduzirá o custo de implantação. Caso haja espaço suficiente, as portas batentes podem ser substituídas por portas automáticas, melhorando muito o tempo de espera. Um estudo de engenharia deverá ser feito para confirmar esta viabilidade.

Tecnologia de acionamento

Os elevadores antigos de uma ou duas velocidades com comandos eletromecânicos acionados por corrente alternada, apresentam desconfortáveis solavancos na partida, mudança de velocidade e parada. O nivelamento da soleira da cabina com o andar é dependente da carga, de frequentes reajustes do freio e são extremamente ineficientes energeticamente, uma vez que considerável quantidade de energia é transformada em calor e se perde.

Os comandos dos elevadores elétricos modernos são dotados de acionamento VVVF (variação de freqüência e variação de tensão), são muito mais eficientes energicamente (consumo de energia 40% mais reduzido, em média) e evitam os solavancos na partida e parada, efetuando um nivelamento suave e preciso nos andares, independentemente da carga na cabina. A substituição do antigo quadro de comando do seu elevador deve ser planejada junto com a substituição da sinalização e das botoeiras. Em apenas 7 a 10 dias úteis, em média, depois da entrega do material na obra, este serviço estará concluído. É o tipo de modernização mais frequente.

Nos casos de elevadores óleodinâmicos, antigos, há a opção de substituir as válvulas hidráulicas convencionais por válvulas eletrônicas, com resultado e ganho próximo ao verificado no acionamento VVVF em elevadores elétricos.

Modernização total

A modernização total é, sem dúvida, a mais onerosa e também a que oferece solução mais completa. É indicada quando o conjunto de tração encontra-se comprometido irreversivelmente ou o reparo é economicamente inviável. Na maioria das vezes o comando ainda é do tipo eletromecânico. Na modernização total todo o conjunto de tração é substituído, ou seja: o motor, a máquina de tração, polias de desvio, cabos de tração e freio dinâmico. O limitador de velocidade poderá ser aproveitado desde que a inspeção e os testes de segurança certifiquem sua integridade e a velocidade não seja alterada.



Frequentemente neste tipo de modernização o quadro de comando é substituído junto com a sinalização e botoeiras e também, em boa parte dos casos, a cabina também é repaginada.



Caso estejam em bom estado, as portas de cabina, dos andares e o operador de porta podem ser mantidos. Toda a parte estrutural da cabina, o contrapeso, pára-choques e guias também são aproveitados.

A indicaçação de uma modernização total depende de uma inspeção prévia muito criteriosa e uma especificação detalhada dos componentes a serem substituídos e estudos de layout para a nova geometria na casa de máquinas. Após a entrega do material na obra e dependendo da complexidade da instalação, este serviço é completado, em média, entre 4 e 8 semanas. A modernização total, não modifica as características originais dos equipamentos, tais como velocidade, número de paradas e capacidade da cabina.